...

Compartilhe

Ajude o blog a sobreviver!!! Compartilhe e clique em nossos anúncios!!! É só clicar!!! XD OBRIGADO!
Share |

27 de abr de 2010

Policia do Jobs invade casa de editor de blog ilegalmente!!!


Como você deve ter lido AQUI, o Gizmodo US conseguiu um protótipo secreto de iPhone esquecido num bar por um jovem engenheiro, e a Apple não gostou muito. Primeiro a trupe de Steve Jobs mandou uma carta querendo o telefone de volta. Ele foi devolvido. E agora… elas usaram a força para fazer um “levantamento mais aprofundado do caso”, mostrando que Steve Jobs realmente abandonou seus tempos hipongas de paz e amor.

Na noite da última sexta-feira, uma força-tarefa do Rapid Enforcement Allied Computer Team, da California (especializado em crimes eletrônicos e no Vale do Silício) entrou na casa de Jason Chen, que é o editor do Giz que comandou todo o processo de aquisição e investigação com o protótipo, sem a presença dele - sim, forçando a porta, amigos, o que é contra a lei - e levou quatro computadores, dois servidores, um iPhone, máquinas fotográficas, registros bancários e a impressão de um email. O

O fato é uma mostra de como certas corporações, quando chegam em momentos de crise, agem como mamutes pisando numa plantação de alface. É o tipo de atitude que mancha a imagem da empresa de forma tremenda, ainda mais se levando em conta que o vazamento só ocorreu por causa de um funcionário deles, que esqueceu o telefone num bar, após encher a cara. Toda a operação de aprisionamento de material da casa de Chen - praticada de forma ilegal, de acordo com algumas análises que li - foi calcada no obscurantismo e no uso da força suplantando a investigação. Quando Chen mostrou um email da diretora da Gawker, dizendo que a Lei da Califórnia impedia invasões e prisões de qualquer material de jornalistas, os policiais disseram que em 25 anos de profissão jamais viram essa lei, deram as costas e foram embora.

Alguns comentaristas do post do Gizmodo sobre o assunto, disseram que acharam a ação linda, que a Apple estava no direito dela de fazer valer a lei, e que o jornalista mereceu. Mas, independente do que acham as pessoas, as leis por lá protegem jornalistas. A lei federal (confirmada por uma lei estadual da Califórnia) proíbe a prisão de qualquer material de posse de jornalistas, mesmo que toda a organização em que ele trabalhe esteja sob investigação (sim, jornalistas são fodas! Melhor que prisão especial, isso…). Ao invés disso, eles devem emitir uma intimação, que deve ser assinada, e é passível de ser contestada pela organização jornalística, que tem o direito de dar explicações sobre o fato.

E a lei estadual, ainda prevê que jornalistas fiquem calados quando perguntados sobre detalhes de reportagens ou sobre fontes. Eles têm esse direito, e podem exercê-lo, mesmo em juízo. E no estado da Califórnia blogueiros são considerados jornalistas, têm os mesmos direitos e deveres. Fora isso, segundo a Gawker, o mandado de busca foi redigido de forma ilegal também, pois permitiu a busca de qualquer computador e outros equipamentos eletrônicos…

Ditadura de corporações? Nós já vivemos nela, amigo. E mesmo que o Jason Chen e o Gizmodo tenha errado com a compra de material roubado (o termo correto seria achado, mas tudo bem), e prejudicado a Apple, ao revelar planos futuros… é inadmissível esse tipo de atitude imbecil e que viole a lei. Para quem ainda não entendeu a magnitude da situação, eles entraram na casa do editor sem a presença dele!!! Poderiam ter levado tudo embora sem anotar nada, e ele deveria ficar quieto. E tudo porque um bêbado esqueceu um telefone no bar.

E ainda tem gente que protege corporações…

Só duas questões complementares: a Apple ainda não declarou oficialmente que o telefone é dela, e dessa forma, não poderia realizar buscas atrás dele. E outra: segundo depoimentos de pessoas que estavam no bar, o cara que achou o telefone, tentou fazer uma devolução, mas não achou o cara que o perdeu, e posteriormente, a própria Apple teria se negado a receber o telefone dele. Depois disso é que ele tentou vende-lo!

Fonte: